Sonetos de um tempo em que os sonhos e a magia flutuavam em minhas varandas

quarta-feira, 22 de março de 2017

Insano festim...





Madrugada...nuvens cobrem a lua,
nuvens de chumbo, feito negro cetim
e a brisa para e na memoria acentua
lembranças que irrompem feito estopim...

Estopim que incendeia, que explode, flutua
contorna, envolve e prende em frenesim,
o ar fica denso, abrasa, tumultua
trazendo teu cheiro, num insano festim...

Cheiro que entranha e na pele se perpetua
e a madrugada segue lenta, sem fim
se arrastando solitária, morna, nua
como moroso e indolente querubim....

Tudo dorme, só não dorme essa saudade tua
sempre tão presente e arraigada em mim...
(ania)


...............................


Obrigada poeta JAIRCLOPES por mais uma brilhante interação...amei!!!

A vez da quietude


Naquelas horas surdas duma madrugada 
Até o relógio da igreja se imobiliza 
Espessa escuridão, sensata, no chão pisa 
Bem devagar para não despertar o nada. 

E o vento solitário adota uma parada 
Porquanto se detém então nada desliza 
Porquanto só bem mais tarde se faz em brisa 
De forma que, desperto dá sua lufada.

 Nem a bonita estrela no céu rebrilha, 
O mar, que silencioso estava, continua 
Entes do céu à paz formam uma quadrilha.

Este silêncio dispõe da noite que é sua 
Reúne em silêncio esta celeste família
 Família, na qual não falta sequer a lua.
(JAIRCLOPES)


sexta-feira, 3 de março de 2017

De repente...





De repente, sem esperar, a partida
os sonhos esparramados pelo chão
e as lembranças muito vívidas
machucando, ferindo o coração...

De repente, sem esperar, a partida
sem nem ao menos, uma explicação,
Pela face a lágrima sentida
e o olhar desolado, sem direção...

A magia e o encanto quebrados
o peito dorido não quer aceitar
o sonho preso não sabe mais voar...

Com a alma e o coração maltratados
o sentir retido sem poder se mostrar
sou fantasma de mim mesma, a vagar...
(ania)


Obrigada poeta JAIRCLOPES pela perfeita interação, honrada sinto-me
em lhe inspirar!


  1. Despedida

    Quando alguém permanece depois da partida
    Com toda certeza lhe falta direção
    E passa a repensar os valores da vida
    Percebendo-os como realmente o são.

    Porquanto, quem se vai tem bilhete só de ida
    Em geral, sequer tem alguma explicação
    E, parece, o mais importante é sua lida
    De modo que ao seu companheiro lhe diz não.

    Fica amarga cicatriz de laços quebrados
    Que, contrário a tudo, devemos aceitar
    Porque no amor é impossível dançar sem par.

    Porém, nas despedidas, ambos são coitados
    Então cada um carrega consigo o seu avatar
    Coração na mão, neste universo a vagar.
    (JAIRCLOPES)

    .......................................



    Linda e inspirada interação de autoria do poeta Laerte S. Tavares...obrigada poeta,
    sinto-me imensamente honrada e feliz por se inspirar em meu soneto!



    De repente a dor de uma partida
    Inesperada a maltratar a gente 
    Fere feroz qual ferro ao fogo quente,
    Mas, na verdade, é esta a nossa vida.

    Como nasce para enfrentar a lida 
    Do dia a dia a adiar à frente
    A própria morte, mais que de repente
    Um dia chega sem outra saída.

    Se nada é eterno também o amor,
    Sendo amor Deus, e se nosso o for
    Será eterno mas será humano

    Que durará em seu alto esplendor
    Na eternidade do louco teor 
    Do sentimento do amor soberano.
    (Laerte S. Tavares)


quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Sonhos que já não são poesia...





Horas lentas, tortura covarde,
cruel, negra sentença do destino
dia após dia em  brutal desatino
massacrando na solidão da tarde...

O tempo trama, urde, passa sem alarde
nas cinzas do sentimento que não era
o desespero no coração, acelera
e a desolação queima em mim...arde...

A espera e o medo que apunhala
da resposta que não vem e que me abala
e o meu grito, no peito, silencia...

O tempo trama, urde e despetala
o que era meu em ti, e não mais embala
os sonhos que já não são mais poesia...
(ania)


Maravilhosa interação do poeta JAIRCLOPES...agradeço muito poeta e
sinto-me honrada em lhe inspirar!



Existe a tortura dessas horas tão lentas
As quais, sem pejo, decretam uma sentença
Que essa dor do tempo, não permita que vença
Porquanto tais horas não pareçam isentas.

As urdiduras do tempo são ferramentas
As quais deslindam cada parte sem ofensa
Decretam a morte da dor da indiferença
Trazendo à vida o carinho que tu acalentas.

O universo te enxerga, te gosta, te fala
Te vê como diamante, pérola ou opala
E, com toda certeza, sempre ouve teu grito.

Conspira para teu bem, enquanto pedala
Então te fornece tratamento de gala
Porquanto é exatamente o que está escrito.
(JAIRCLOPES)





quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Plenitude...






Quero o florir e o reflorir da magia
de instantes, sempre no hoje, no agora,
no momento atual...por dentro, por fora,
das coisas tangíveis, sensíveis, a euforia...

Quero a surpresa do sussurro e a alegria
do frêmito no corpo e que na pele aflora
e que se espalha e que na alma ancora
e que incendeia, explode...se faz sinfonia...

Quero o que ainda não me permiti, o devaneio
do oculto, o vibrar do espanto no grito,
quero do acontecer o pleno, o cheio...

Quero sem pressa a emoção do anseio,
sem medidas, sem mistérios no rito,
quero a descoberta do que ainda não veio!
(ania)



segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Nem o blues consola...





É noite...só escuridão mais nada,
os pirilampos em sua rotina
de iluminar a noite não estrelada,
dançam, procurando a lua bailarina...

É noite...se arrasta a madrugada
pela janela esvoaça a cortina,
o pensamento flutua...divaga
e a solidão vem, aperta e alucina...

No quarto o som do blues na vitrola
na memória, sombras de um passado
feliz...lembrança que me assola...

A lágrima surgue quieta e rola
o peito, pela saudade, apertado
nem o blues, nessa noite, consola...
(ania)

......................

Linda e inspirada interação do poeta JAIRCLOPES.
Poeta Jair, obrigada pelo maravilhoso soneto...amei!


A noite

A noite na escuridão mansa, nada
Nada diferente, pura rotina
Ainda que sequer esteja estrelada
Procura na terra uma bailarina.

E sem descanso, vara a madrugada
Quando o horizonte se descortina
Em flagrante, a noite então divaga
A luz do sol surge e a alucina.

Então, o blues lamenta-se na vitrola
Num compasso meloso bem dosado
Melancolia que ninguém controla.

Este som pesaroso deita e rola
Como se o mundo estivesse errado
O mal solto, a bondade na gaiola.
(JAIRCLOPES)


sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Chora a tarde...




Chora a tarde um lamento tristonho
no ritmo dos pingos uma doce toada
misto de saudade, misto de sonho
chora minh'alma desconsolada...

A face pelas lágrimas marcada
lembrando de ti, versos componho
ao som de um piano na tarde enevoada
toda a dor, em meu coração, exponho...

São versos tristes de saudade e dor
falam do encanto, da magia perdida
dos abraços, dos teus beijos, do teu calor,

Do teu corpo, do teu toque, do teu ardor...
Na tarde que se vai, componho aturdida
meus pobres e tristes versos de amor...
(ania)

.................

Magistral interação do poeta JAIRCLOPES...Poeta Jair, agradeço de coração
o maravilhoso soneto...MUITO OBRIGADA!


Outra tarde... 

Num lamento tristonho, chora a tarde 
No ritmo dos pingos, uma toada doce 
Então o dia se vai sem fazer alarde 
A tarde desmaia como noite fosse. 

As lágrimas marcam aquela face 
Talvez embalada em algum sonho 
Que dum plano misterioso nasce 
Deixando o coração assim tristonho. 

Daí, estes versos que invocam saudade 
Que falam de amor, mas não têm magia 
Nada fazem, mas traduzem verdade. 

Tudo certo, mas não como eu queria 
Tarde que se vai, não minha vontade 
De encarar o mundo com alegria. 
(JAIRCLOPES)



quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Afloração da dor...




Quando a noite surge e se agiganta
Queda em silêncio tudo lá fora,
Em meu coração, a tristeza é tanta
Sonhos não há...solidão ancora...

Lembranças trazem o nó na garganta
Desconsolada minh'alma chora
Nem mesmo a lua, essa dor espanta
Quando a pungente saudade aflora...

Tudo acabou...não há mais sentido
Não ter mais teus beijos...cruel castigo
Dos teus abraços, meu corpo tolhido...

Nada mais há, só lamento contido
Como barco sem rumo, a esmo, sigo
A magia, o encanto do ontem, perdidos...
(ania)


..................................................

Linda e inspirada interação do poeta JAIRCLOPES...Obrigada
poeta, é sempre uma honra ter você por aqui!!!

NOITE

A noite serena todo o mal espanta 
Dona absoluta do que há lá fora 
Porquanto sua influência é tanta 
Que todo meu alumbramento escora. 

A noite tudo cobre, como manta 
Deixa saudade quando vai embora 
Porém, enquanto noite, nos encanta 
E o melhor do ser humano aflora. 

Há contudo, certa falta de sentido 
No atro que mais parece um castigo 
E que não deixa saber com que lido. 

Mas, apesar e portanto, eu sigo 
Devagar, tateando e contido 
E apenas eu vai andando comigo. 
(JAIRCLOPES)